sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Dedo de Deus - 13h de duração (ida/volta em 20/11/12)



"Trilha, escalada, exploração na caverna "blackout", rapel e flow noturno na descida..."

Este é só um resumo do que rolou nesta aventura, estávamos lá: JJ, JC e Rodrigo Ristow (mais conhecido como o Capitão América! rs)... sim no Dedo de Deus em Teresópolis - RJ!

Saindo de casa (Ilha do Governador) as 03:40h pegando carona com o nosso guia /capitão as 04:30h rumo à Teresópolis, assim começou a madrugada (fui "dormir as 02h, arrumando as paradas e já na adrenalina" - JC virou a madrugada também pois não conseguiu dormir). Chegamos lá umas 5h e pouco, passamos na entrada do Parque da Serra dos Órgãos para pegar o termo de compromisso/responsabilidade, e avisar que iríamos fazer a Trilha pro Dedo de Deus e voltar no mesmo dia (sim, é muito importante passar lá e identificar-se caso aconteça algum imprevisto, emergência e tal).

Feito isto, começamos a subir as 06:30h, fizemos mais de 01:30h de trilha pesada, alta, fechada e num clima meio gelado, bem e lá estávamos nós!

Após conquistar a primeira parte, começávamos a subir uns trechos com apoio de cabos de aço que detonam as mãos, ou melhor calejam mais as mãos... rs
Estava úmido devido a garoa, e as vezes ameaçava que ia chover forte, outro grupo de uns 8 desistiram por ali, preferiram voltar, pois as condições "ameaçavam a subida"... Na verdade nós não desistimos, e lá continuamos.

Chegou a parte de escalada, muito maneiro, alto, perigoso, e com um pouco de chuva e vento forte, pra intensificar mais a subida. Foi a primeira experiência de JC em escalada assim ,com sapatilha e equipamento pra valer! a minha, era segunda, lembrando que nunca tinha feito nada tão alto, mas faz parte, é ignorar a altura e sempre continuar!

Chegamos na parte do "blackout", sim uma caverna escura pra caramba, ficamos quase 2h pra conseguir subir e "achar" luz e a saída pra cima, que seria um atalho pra não fazer uma volta (da cebola) por fora, neste momento somente duas lanternas de cabeça ajudaram os trilheiros/tracers... Parte mais tensa pra mim depois do começo da trilha (coxas queimando, e respiração ofegante direto).

Ae então vieram as partes das "chaminés" são escaladas curtas entre pedras que chegam a ter uma largura de menos de 1 metro. Realmente algumas foram tranquilas e outras tensas, devido a altura, mas o Ristow já tinha feito esta trilha/escalada 3 vezes (anteriormente) logo sua experiência e preparo físico foram fundamentais para que eu e JC concluíssemos o percurso...

Por um momento olhei a altura, as dificuldades, o cansaço e me perguntava: porque estou fazendo isto? será que vou conseguir concluir? o que nos espera agora? e tá lá! as 14:11h chegamos, sim 8h para conseguir chegar de verdade no cume! no topo! pois é, nesse momento a sensação de alívio, conforto, dever cumprido tinha se realizado.


Era a metade do caminho, naquele momento caiu a ficha que demoramos 8h para chegar, mas para chegar bem! ninguém morrendo, nada de lesões e dispostos a encarar a outra metade do percurso: "A DESCIDA" tensa rs... Pois é 1692 metros de altitude (o dobro da Pedra da Gávea - 842 metros de altitude). E lá vamos nós...


Para descer, fizemos 3 ou 4 lances de rapel, pois realmente desescalar todo o percurso que fizemos para subir é muito mas muito mais complicado e trabalhoso. Logo assim que o Ristow montava a corda, ele passava as instruções pra mim e pro JC, para descermos com segurança, e sempre mantendo a calma e NUNCA soltando a corda de segurança que precisávamos utilizar, fomos mantendo a sequência: JJ explorando e descendo primeiro, verificando o cenário assim que chegava. JC descia em segundo lugar e já contava comigo embaixo para direcionar a corda do rapel, e por último o Ristow, que chegava em segundos aonde nós dois estávamos (graças a prática e experiência dele).

Blz, descemos bem, mas ainda tinha uma última parte, já eram mais de 18h e começou a escurecer rápido, pois é era a trilha intensa do começo, que se transformava numa floresta tipo de filme de terror... rs

E lá fomos nós, a meta era chegar em menos de 30 lá embaixo pois completaríamos as 13h de ida + volta, e lá fomos nós no flow, tropeçando, escorregando, batendo galhos pequenos na cabeça rs
Mesmo com duas lanternas de cabeça (JC e Ristow) eu pedi pra deixar desligada pra ficar com visão noturna natural, e foi muito maneiro.. arriscado sim, mas quem disse que ia ser fácil?

Após 27 min sem parar, estávamos com o pé na estrada, sim, conseguimos!!! 13h se passaram, e nós conquistamos o Dedo de Deus, uma sensação sem igual... Fomos na portaria do Parque novamente falar que já tínhamos concluído e estávamos voltando pro RJ... E é isso.. fim de papo!

Muito obrigado pela oportunidade Ristow!
Vlw JC! vamos fazer outras agora ein?

E a você que teve a paciência de ler tudo, vlw tbm  :-D

Att JJ.

6 comentários:

  1. Sò digo uma coisa: Nem me chamaram... =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E nem dava, acredite, tivemos que passar por isso primeiro para preparar as próximas subidas, precisamos nos equipar (principalmente o kit de escalada), nos preparar fisicamente e sério, trabalhar muito o psicológico (altura e outras paradas)...

      Acredite Tati, não foi fácil! (ahhh e foi mal.. rs)

      Att JJ.

      Excluir
  2. Experiência que irá ficar pra resto da via! Agradecimentos mais do que especiais ao Rodrigo Ristow por ser um modelo de pessoas sensata, passa muita confiança e digno de respeito! E com certeza, JJ meu Brodi: se tu não tivesse lá, eu não teria subido! Parceria mais do que genética!!!

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Obrigado cara! olha a homenagem... rs

      Att JJ.

      Excluir